Vacina para Sarampo

Sarampo

Idade de Aplicação:

A partir de 12 meses de vida.

Reforço entre 4 e 6 anos de idade





Neo Clínica - Vacinas - Sarampo

Dicas ao Cliente:

O sarampo é uma doença viral aguda, altamente contagiosa, capaz de produzir epidemias. O sarampo não é considerado uma doença grave, porém pode ser muito grave se surgirem complicações.

Fonte de infecção

Os sintomas geralmente aparecem após 10 a 12 dias da infecção, inicialmente parecido com um resfriado, nariz escorrendo, tosse e febre branda. Os olhos podem ficar avermelhados e sensíveis à luz. À medida que a doença avança, e geralmente entre o terceiro e sétimo dia, a temperatura pode chegar a 39-41ºC e aparecer uma erupção cutânea, que dura de quatro a sete dias. A erupção cutânea caracteriza-se por exantema maculopapular, com locais de confluência. No início, estes exantemas afetam a face para depois se espalhar por todo o corpo. Também podem aparecer na gengiva e na parte interna das bochechas pequenas manchas brancas(manchas de Koplik). Não há tratamento específico para o sarampo. A infecção confere imunidade contra o vírus para o resto da vida.

Entre as complicações mais freqüentes em crianças estão otite média, broncopneumonia, diarréia e laringo-traqueobronquite. Em alguns casos, cerca de 1 em 1.000, os pacientes com sarampo desenvolvem inflamação do tecido cerebral (encefalite). Muito raramente, uma infecção persistente pelo vírus do sarampo pode levar a panencefalite esclerosante subaguda (PESA) que é uma complicação degenerativa tardia do sistema nervoso central.

Modo de transmissão

O vírus do sarampo se dissemina muito facilmente de indivíduo a indivíduo através de gotículas da tosse, espirros e corrimento nasal. Um quadro de sarampo é infeccioso 4 dias antes da manifestação de exantemas até quatro dias depois do seu aparecimento.

Período de incubação

Mais de um milhão de crianças morrem de sarampo a cada ano, especialmente crianças desnutridas cujo sistema imune não é suficientemente forte para combater a infecção. Cerca de 98% dessas mortes ocorrem em países em desenvolvimento, a maioria no continente africano. Em muitos países europeus, o sarampo é ainda uma grande preocupação de saúde pública. A doença continua a se disseminar principalmente porque ainda não foi alcançado o grau de cobertura vacinal necessária para interromper a transmissão. Nos países em que o sarampo foi amplamente eliminado, casos importados de outros países constituem importante fonte de infecção.

Suscetibilidade

A vacina contra o sarampo é a medida de prevenção mais eficaz. No calendário nacional de vacinação de rotina a primeira dose deve ser administrada a toda criança de um ano de idade e uma segunda dose àquelas de cinco a seis anos de idade.
Recomenda-se que os adultos nascidos depois de 1960, sem comprovação de nenhuma dose, recebam pelo menos uma dose da vacina tríplice viral (SCR).
Esta vacina não é recomendada a gestantes.
A vacina tríplice viral (SCR) que protege contra o sarampo, protege também contra a rubéola e a caxumba.

Imunidade

Sarampo – Vacinação de viajantes
Os viajantes devem estar com suas vacinas em dia antes de viajar.
O viajante deve receber a vacina tríplice viral 15 dias antes de viajar, para a sua completa proteção e de seus familiares.
No presente, são consideradas áreas de risco para viajantes brasileiros os países da Europa onde o sarampo está com surtos epidêmicos em evidência, isto é, na Alemanha, Espanha e, na região das Américas, a Venezuela.
A relação dos postos de vacinação, para viajantes que se destinam às áreas de risco, encontra-se disponível no seguinte endereço eletrônico: http://www.cve.saude.sp.gov.br

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e FUNASA