Um estudo apresentado durante a conferência Alzheimer’s Association Internacional nesta segunda-feira (27) mostrou que vacinas contra gripe e pneumonia podem reduzir o risco de Alzheimer.

“Esta é uma descoberta encorajadora que se baseia em evidências anteriores de que a vacinação contra infecções comuns- como a gripe-está associada a um risco reduzido para a doença de Alzheimer e um atraso no início da doença”, disse Richard Isaacson, neurologista e um dos autores do estudo.

Como não há um cura para a doença ainda, os médicos acreditam que investir nas vacinas pode ser útil para intensificar ou retardar o aparecimento do problema.

Como o estudo foi feito

O primeiro estudo foi feito por meio de um grande conjunto de dados de 9 mil pacientes americanos com mais de 60 anos.

Os pesquisadores descobriram que vacinação contra gripe estava associada com 17% de incidência em casos de Alzheimer. Aqueles que foram vacinados mais de uma vez ao longos dos anos tiveram uma redução adicional de 13% na incidência da doença.

“Existe uma preocupação na comunidade médica de que muitas fontes de inflamação, como infecções do trato urinário, pioram o curso dos pacientes com doença de Alzheimer”, disse Albert Amran, um dos autores da pesquisa, em entrevista à CNN americana.

Amran ressalta ainda que os médicos recomendam vacinação contra gripe para pacientes com Alzheimer, já que a gripe geralmente é mortal.

O especialista ressalta ainda que mais pesquisas precisam ser feitas para entender o mecanismo biológico da vacina, além de saber como e por que ela age no organismo. Eles acreditam que vacinação pode manter o sistema imunológico em dia, conforme as pessoas vão envelhecendo.

Vacina contra pneumonia

Para chegar na relação com a vacina de pneumonia, os cientistas analisaram mais de 5 mil pacientes com mais de 65 anos que estavam participando do Cardiovascular Health Study, um longo estudo que analisa doenças cardiovasculares.

Alguns dos participantes tinham predisposição genética a desenvolverem Alzheimer e também um risco aumentado de sofrer depressão.
Os médicos descobriram que a vacina pneumococcal reduziu o risco de pacientes que tinham entre 65 e 75 anos desenvolverem Alzheimer em até 30%.

No entanto, a redução maior foi vista foi vista em pacientes que receberam a vacina, mas que não tinham o gene para desenvolver a doença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *